Profissão designer: As dificuldades para trabalhar como designer

O designer é o profissional que transmite conceitos usando fundamentos do design. O trabalho envolve programas de edição de imagens, entre outros conhecimentos. As áreas de atuação são muitas: agências publicitárias, emissoras de TV, indústria automotiva, estúdios de games, escritórios de decoração, lojas, entre outras. Mas, mesmo sendo tão abrangente há muitas dificuldades para trabalhar como designer. Conheça os principais entraves desse profissional e caminhos para superá-las.

 

O que o estudante de design aprende?

Existem cursos tecnológicos com duração de 2 anos e universitários de 4 anos. Os cursos técnicos são específicos. Os alunos de design gráfico e digital, por exemplo, têm conteúdos sobre diagramação, tipologia e softwares. A grade curricular de design de produto abrange ergonomia e tecnologia de materiais. A formação dos cursos tecnológicos está condicionada a um trabalho de conclusão. Os cursos de design gráfico e design de produto também podem ser apresentados como Produção Gráfica, Comunicação e Ilustração e Produção Multimídia.

Já o curso universitário em design engloba design gráfico, desenho técnico, ergonomia, informática, modelagem 3D, ilustração, protótipos, fotografia, estética, marketing e design e processos gráficos. Após o período de disciplinas comuns (que varia conforme a instituição), os cursos vão para vários setores: desenho industrial, interiores, games e moda. O curso universitário é bacharelado, sendo que algumas áreas exigem estágio e trabalho de conclusão. Algumas apresentações: Computação Gráfica, Comunicação Visual e Expressão Gráfica.

Por quê é difícil trabalhar como designer após a conclusão do curso?

Poucas pessoas conseguem trabalhar na área. Dessas, alguns desistem e vão trabalhar em atividades sem a menor relação. Mas, o número de formados em design que nunca atuaram é enorme. Sim, o mercado é difícil, mas isso não é tudo. Muitas pessoas entram na faculdade sem vaga ideia sobre o curso. Daí a importância de pesquisar as grades curriculares dos cursos de design. Ir a feiras de cursos e estágios também é tarefa para os futuros universitários.

Durante o curso, pesquise o mercado. Busque tudo sobre a área que você pretende atuar. Fique por dentro da metodologia e dos trabalhos desenvolvidos pelas empresas do setor. Monte também um portfólio web, adicionando trabalhos recentes e atualizando os antigos. Você também precisará investir em formação durante a faculdade. Caso queira trabalhar com 3D e o curso não tenha esse conteúdo, precisará estudar isso.

Profissional de design efetivo ou freelancer?

Ser efetivo significa ter salário, aprender métodos e ter vínculos sociais. Em contrapartida, o trabalho pode ser repetitivo, além de não participar do projeto por inteiro. Já o freelancer tem liberdade criativa, flexibilidade de horário, negocia com clientes, mas também não tem 13o,, férias, plano de saúde nem final de semana. O que fazer? Muitos profissionais começam a carreira como freelancer. Isso pode dar muito jogo de cintura para a pressão do trabalho em agências. Aproveite o melhor de cada modalidade para trilhar seu caminho.

 

São muitas as dificuldades para trabalhar como designer. Mas, se tem quem consiga, então, não é impossível. Estude a área do design que você quer seguir. Faça cursos complementares, se possível ainda na faculdade, construa um bom portfólio e desenvolva uma rede de contatos. O famoso QI (quem indica) é importante, porém, nada substitui o talento.

 

Você quer estudar design? Sabia que é difícil trabalhar com design? Compartilhe suas opiniões e experiências.

 

Fontes

<http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/design/>

<http://design.blog.br/geral/por-que-e-dificil-trabalhar-como-designer-depois-de-formado>

<http://design.blog.br/geral/como-trabalhar-como-designer-logo-apos-se-formar >